Encontre serviços oferecidos pelo Governo de SC

Reunimos neste site tudo o que o Governo pode fazer por você

Notícias em destaque

Serviços em destaque

Vídeos

Com a Palavra, o Governador - 13 de outubro de 2017

Com a Palavra, o Governador - 13 de outubro de 2017

No programa "Com a Palavra, o Governador", Raimundo Colombo fala sobre a entrega da SC-157 no Oeste do estado, do primeiro mês da nova rota internacional no Porto de Imbituba, da operação de transferência de carga da Ponte Hercílio Luz e sobre a Jucesc Digital.


Oportunidades

Próximos eventos


Foto: James Tavares/Arquivo Secom

Santa Catarina supera Goiás e se torna o quarto maior produtor de leite do país. O estado vai na contramão do país e segue sua trajetória de crescimento, chegando a 3,1 bilhões de litros de leite produzidos em 2016. Os números foram divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e confirmam a posição catarinense no ranking nacional.

Com crescimento de 1,76% de 2015 para 2016, a produção leiteira de Santa Catarina só fica atrás da de Minas Gerais, do Paraná e do Rio Grande do Sul – os maiores produtores nacionais. Até 2015, a quarta posição nesse ranking era ocupada por Goiás, porém, no último ano, o estado diminui em 13,8% a produção e foi superado por Santa Catarina.

A grande bacia leiteira catarinense é a região Oeste, que responde por 76% de todo leite produzido – quase 2,4 bilhões de litros. O secretário da Agricultura e da Pesca, Moacir Sopelsa, destaca que em Santa Catarina a produção de leite está concentrada nas pequenas propriedades de agricultores familiares e que representa uma importante fonte de renda no meio rural. “O setor leiteiro é um grande destaque de Santa Catarina e vem passando por grandes transformações, com o investimento em pastagens, tecnologias e genética. Ainda temos muitos desafios pela frente, precisamos tornar nosso leite competitivo para exportação”, ressalta.

A produção de leite vem numa crescente em Santa Catarina. Há dez anos, o estado produzia 1,7 bilhão de litros e, em 2016, foram 3,1 bilhões de litros - um crescimento de 82%. No mesmo período, a produção brasileira aumentou em 32%. O secretário-adjunto Airton Spies explica que o leite é a atividade agropecuária que mais cresce no estado e que tem um grande impacto socioeconômico nos municípios catarinenses. “O setor leiteiro gera e distribui renda ao longo de toda cadeia produtiva, envolvendo 60 mil produtores e milhares de empregos em Santa Catarina. Nosso estado tem excelentes condições de produzir leite de alta qualidade a baixo custo. O grande desafio é nivelar para cima o padrão tecnológico para que todo leite seja de alta qualidade e melhorar a organização logística para conquistar o mercado externo”, afirmou.

No último ano, o Brasil produziu 33,6 bilhões de litros de leite, sendo que 37% desse total vêm da região Sul. Com cerca de 300 mil produtores, Paraná, Rio Grande do Sul e Santa Catarina, juntos, produziram 12,4 bilhões de litros de leite e se consolidam como a maior bacia leiteira do país.

Queda nos preços

Esse incremento na produção, combinado ao aumento nas importações de leite e queda nas exportações para países como a Venezuela, acabou gerando uma crise na cadeia leiteira, com preços no atacado e pagos ao produtor bastante baixos para esta época do ano. “A atual crise no preço é um exemplo da importância que devemos dar para preparação do setor para competir no mercado global. Só assim vamos conseguir evitar a importação e vender nosso leite para os consumidores do mundo todo”, afirma Spies.

Outra importante variável nesse cenário é a retração no consumo. A queda na renda de muitas famílias brasileiras fez com que produtos com maior valor agregado, como iogurtes e queijos, deixassem de ser uma opção na hora da compra. Menos consumo resultou em menos renda para produtores.

Informações adicionais para a imprensa
Ana Ceron
Assessoria de Imprensa 
Secretaria de Estado da Agricultura e da Pesca 
E-mail: imprensa@agricultura.sc.gov.br
Fone: (48) 3664-4417/ 98843-4996
Site: www.agricultura.sc.gov.br


Foto: Jeferson Baldo / GVG

O governador em exercício Eduardo Pinho Moreira anunciou nesta segunda, 2 de outubro, obras emergenciais  para a minimizar os danos causados pelo avanço da maré próximo à rodovia SC-406, no Sul da Ilha, em Florianópolis. “Determinei ao Deinfra, Infraestrutura e Defesa Civil para que obras sejam feitas imediatamente com a colocação de pedras, formando um muro de contenção. Depois analisaremos uma ação definitiva. Esta semana este assunto deve ser resolvido. A Casan e Celesc também estão trabalhando no local para resolver problemas”, explicou Moreira.

O presidente do Departamento Estadual de Infraestrutura (Deinfra), Wanderley Agostini, informou que o órgão está elaborando um plano de ação para minimizar os danos causados pelo avanço da maré. Técnicos da Diretoria de Planejamento e Projeto do Deinfra estarão no local nesta segunda para apresentar uma solução de engenharia com o volume de material e o recurso que deve ser utilizado para minimizar os estragos.


Foto: James Tavares / Secom

>>> Mais imagens na galeria

“Equipes do Deinfra, acompanhadas da Polícia Militar Rodoviária, estão fazendo o monitoramento desde o início das ocorrências. Na semana passada, estive no local. Hoje os técnicos, como baixou a maré, terão uma visão de forma responsável e criteriosa dos danos causados. As ações estão sendo feitas para que os recursos sejam bem aplicados. Outra preocupação que temos é com a questão ambiental para não cometermos nenhuma irregularidade”, explicou.

Na Praia do Caldeirão, entre o Morro das Pedras e a Armação, parte do acostamento da rodovia foi interditada pelo Deinfra e Defesa Civil na última semana. O presidente disse que o relatório deve ficar pronto nesta segunda-feira.

A decisão do governador em exercício, Eduardo Pinho Moreira, foi tomada em reunião no gabinete, com a presença do presidente da Casan, Valter Gallina, do prefeito de Florianópolis, Gean Loureiro, do secretário da Casa Civil do município, Filipe Melo. 

Informações adicionais para a imprensa:
Elisabety Borghelotti
Assessoria de Imprensa 
Secretaria de Estado de Comunicação - Secom
E-mail: bety@secom.sc.gov.br
Fone: (48) 3665-3018 / 98843-5460
Site: www.sc.gov.br
www.facebook.com/governosc e @GovSC


Foto: Defesa Civil/Divulgação

O mau tempo causou estragos em Santa Catarina, neste domingo, 1º de outubro. Chuva, granizo e vendaval deixaram danos nos municípios de Chapecó, Dionísio Cerqueira, Concórdia, Itá, Seara, São Lourenço do Oeste, Campos Novos, Faxinal dosGuedes, Jardinópolis, Palmitos e Bom Retiro, conforme dados da Defesa Civil até as 8h desta segunda-feira, 2. 

O secretário-adjunto da Defesa Civil, tenente-coronel Fabiano de Souza, disse que o temporal que aconteceu é característico da primavera e que o principal fator da destruição, especialmente na região Oeste, não foi a chuva, mas a precipitação de granizo. "As equipes da Defesa Civil iniciaram os trabalhos ainda no domingo, com levantamentos dos danos e assistência humanitária com a distribuição de lonas. Os serviços continuam nesta segunda. Temos a informação que os municípios mais atingidos foram Chapecó e Dionísio Cerqueira”, afirmou.

>>> Semana será com sol e temperatura mais baixa em Santa Catarina

Em Chapecó, por volta das 16h30, a chuva de granizo e os fortes ventos atingiram, principalmente, os bairros Grande Efapi, Jardim América, São Cristovão, Santo Antônio, Alvorada, Eldorado, Bela Vista, Saic, Presidente Médici e Centro. Dados preliminares da Defesa Civil mostram que 395 famílias foram atingidas no município, 15 árvores caíram e três empresas foram danificadas. Em Dionísio Cerqueira, ainda está sendo feito o levantamento dos danos.

Em Jardinópolis, o mau tempo danificou 25 residências e um galpão caiu. Em São Lourenço do Oeste, ventos fortes e granizo deixaram estragos na Linha Santana do Bela Vista. Ainda foram verificados estragos em prédios públicos, escolas, igreja, ginásio e outras propriedades.

Ainda no Oeste, em Palmitos, um vendaval atingiu o barracão do parque de máquinas da prefeitura, causando destelhamento parcial. Em Concórdia, uma residência foi parcialmente danificada e, em Itá, houve estragos em uma casa, chiqueirões, aviários e galpões. Na SC-283, em Seara, o trânsito está em meia-pista por causa de um deslizamento de rochas.

Em Campos Novos, cinco residências tiveram danos e, em Faxinal do Guedes, dez casas foram prejudicadas. Em Bom Retiro, um poste quebrou com a força do vento, porém não houve destelhamentos. Outros municípios no estado também registraram chuva, ventos e granizo, porém sem danos.

O tenente-coronel Fabiano de Souza solicitou que a população acompanhe as orientações passadas pela Defesa Civil, como alertas e boletins informativos. Durante a ocorrência de qualquer desastre, a orientação é procurar um local seguro, não transitar em áreas abertas e acionar a Defesa Civil do município.

Radar do Oeste

O secretário-adjunto explica que o radar meteorológico instalado em Chapecó é o pontapé inicial para o processo de monitoramento e alerta, fundamental para antecipar a informação da ocorrência. Porém, é necessária a parceria de toda a comunidade e dos veículos de comunicação para a disseminação das informações. “Além do radar, temos uma série de outras tarefas para aprimorar cada vez mais. Uma delas é a comunicação. A informação que o radar passa e a análise dos meteorologistas precisam chegar até a população. Para isso, pretendemos implantar o serviço de SMS na região até o final do ano, com a liberação da Anatel", disse.

O serviço de SMS é um projeto-piloto de Santa Catarina para envio de alerta via mensagem de celular. Com coordenação da Secretaria de Estado da Defesa Civil, o objetivo é informar a população sobre situações de desastres e emergências. Em um primeiro momento, foram selecionados 20 municípios para participarem do projeto-piloto. "Em Itapiranga, por exemplo, o serviço já está funcionando, e os moradores receberam as informações por meio de mensagens. Estamos buscando para melhorar este sistema. Apesar de tudo, o radar de Chapecó cumpriu com o esperado”, explicou Fabiano de Souza.

Recomendações da Defesa Civil

Tempestades com descargas elétricas (raios), ventos fortes e granizo: Proteja-se em local abrigado, longe de placas, de árvores, de postes de energia e de objetos que podem ser arremessados. Se não encontrar um abrigo, agache-se com os pés unidos, com a cabeça encostada em seu peito ou entre os joelhos e as mãos cobrindo suas orelhas ou apoiadas em seus joelhos. Se estiver na praia, jamais fique na água. Não olhe para o raio. Se estiver em casa ou qualquer outro local abrigado, desligue os aparelhos eletrônicos, não use o telefone e fique longe das janelas. O banheiro em alvenaria é o melhor local durante uma tempestade.

Alagamentos/inundações: Evite o contato com as águas e não dirija em lugares alagados. Evite transitar em pontilhões e pontes submersas e cuidado com crianças próximas de rios e ribeirões.

Deslizamentos de terra: Deve ser observado qualquer movimento de terra ou rochas perto de residências, inclinação de postes e árvores e rachaduras em muros ou paredes. Neste caso, é recomendável que a família saia de casa e acione a Defesa Civil Municipal pelo 199 ou Corpo de Bombeiros pelo 193.

Recomenda-se o permanente acompanhamento dos boletins e informações através dos sites da Defesa Civil e Epagri/Ciram.

Celesc trabalha para recuperar energia no Oeste

Os ventos de aproximadamente 114km/h que atingiram as regiões Oeste, Meio-Oeste e Extremo-Oeste catarinense no domingo causaram destelhamento de centenas de casas e provocaram danos ao sistema elétrico da Celesc. O temporal, associado a descargas atmosféricas e granizo, provocou o desligamento de subestações e o rompimento de cabos. No pico do problema, aproximadamente 60 mil unidades consumidoras ficaram sem luz. As cidades de Dionísio Cerqueira, Campo Erê, São Lourenço, Palmitos, Itapiranga, Xanxerê, Pinhalzinho, Quilombo e Concórdia foram as mais afetadas.

As equipes trabalharam desde a passagem da tempestade para a recuperação do sistema. Até as 10h desta segunda-feira, aproximadamente 50 equipes da Celesc e de empreiteiras estão nas regiões atingidas providenciando os reparos necessários. A previsão é que a maior parte das unidades consumidoras tenha o abastecimento normalizado até o final do dia desta segunda-feira. O término dos trabalhos, se não houver novos eventos, está previsto para o final de terça-feira, 3. Em Chapecó, aproximadamente cinco mil unidades consumidoras estão sem energia. Já em São Miguel do Oeste, são pouco mais de duas mil unidades sem energia.

>>> Mais informações sobre o volume de ocorrências na ferramenta Em Tempo Real

Contato com a Celesc

O cliente pode enviar um SMS para o número 48196 com a mensagem SEM LUZ + o número da Unidade Consumidora, relatar a falta de energia pelo site ou ligar para o Call Center no telefone 0800 48 0196.

>>> Saiba como o sistema da Celesc trabalha em situações adversas

Informações adicionais para a imprensa:
Elisabety Borghelotti
Assessoria de Imprensa 
Secretaria de Estado de Comunicação - Secom
E-mail: bety@secom.sc.gov.br
Fone: (48) 3665-3018 / 98843-5460
Site: www.sc.gov.br
www.facebook.com/governosc e @GovSC


Foto: Luiz Roberto Francisconi/SOL

A Fundação do Meio Ambiente (Fatma) divulgou mais um relatório mensal de balneabilidade. Dos 215 locais analisados nas praias catarinenses, 171 (79,5%) estão próprios para banho. As coletas e análises foram feitas entre 25 a 29 de setembro. Os dados estão disponíveis em www.fatma.sc.gov.br ou no aplicativo Praias SC, habilitado para Android.

Em Florianópolis, dos 75 pontos avaliados, 61 (81,3%) estão próprios para banho. No restante do Litoral, 110 locais (78,6%) estão liberados para os banhistas. “O longo período que passamos sem chuva contribuiu para que os índices melhorassem. Em relação ao relatório de agosto, dois pontos passaram a ser impróprios e nove tornaram-se próprios”, explica o técnico de Laboratório da Fatma, Marlon Daniel da Silva.

O monitoramento mensal das praias catarinenses será feito até meados de novembro, com exceção de Balneário Camboriú que, por medida judicial, continua sendo semanal. Os relatórios de todo o Litoral catarinense são divulgados nas últimas sextas-feiras de cada mês. “A balneabilidade é um serviço de saúde pública para moradores e turistas de Santa Catarina. O programa é feito pela Fatma com responsabilidade e transparência há 40 anos”, afirma o presidente da Fatma, Alexandre Waltrick Rates.

Como é feito

Para dizer se um ponto é próprio ou impróprio para banho, a Fatma analisa a presença da bactéria Escherichia Coli, presente em fezes de animais e humanos. São necessárias cinco coletas consecutivas para se obter o resultado. Quando em 80% das análises a quantidade da bactéria é inferior a 800 por 100 mililitros, o ponto é considerado próprio. O programa da Fatma é um dos mais completos do Brasil e executado há 40 anos.

Os pontos analisados são nos municípios de Araranguá, Balneário Arroio do Silva, Balneário Gaivota, Balneário Camboriú, Balneário da Barra do Sul, Balneário Rincão, Barra Velha, Biguaçu, Bombinhas, Florianópolis, Garopaba, Governador Celso Ramos, Imbituba, Itajaí, Itapema, Itapoá, Jaguaruna, Joinville, Laguna, Navegantes, Palhoça, Passo de Torres, Penha, Piçarras, Porto Belo, São Francisco do Sul e São José.

Mais informações para a imprensa:
Claudia De Conto
Assessoria de Comunicação
Fundação do Meio Ambiente (Fatma)
E-mail: comunicacao@fatma.sc.gov.br
Fone: (48) 3665-4177 / 99172-8277 / 98845-7087 
www.fatma.sc.gov.br 


Atletas de São Bento do Sul (masculino) e Blumenau (feminino) comemoram o título de campeão geral da ginástica artística. Foto: Heron Queiroz/Fesporte

A etapa estadual da 17ª edição Olimpíada Estudantil Catarinense (Olesc) será de 7 a 14 de outubro em Rio do Sul com a participação de mais de 2,5 mil atletas. Mas, mesmo antes da competição começar, três modalidades já conhecem seus campeões: a natação, a ginástica rítmica (GR) e a ginástica artística (GA).

A primeira definição veio na natação, realizada no dia 17 de setembro, no complexo aquático da Unisul, em Palhoça. Joinville foi o campeão no masculino e Jaraguá do Sul no feminino.

Neste domingo, 1º, em Blumenau, mais dois campeões foram conhecidos nas duas modalidades da ginástica: a artística e a rítmica. Na artística, entre os homens, a façanha de ser campeão geral coube ao time de São Bento de Sul, que bateu o favorito Blumenau, que era o campeão da edição anterior.

Os são-bentenses somaram  204,500 pontos. deixando os blumenauenses em segundo lugar, com 203, 650 pontos. Itajaí fechou sua participação em terceiro lugar, com 191,800 pontos.

Acostumado a disputar competições internacionais, o treinador campeão de Brusque, o armênio Vachik, disse que o título é importante no processo de formação de atletas, mas faz uma ressalva: “o ideal não é o título em si, mas fomentar um trabalho que leve a formação de atleta olímpico. Para isso precisamos de apoio das instituições”.

Entre as mulheres, não houve surpresa na GA e, como no ano anterior, Blumenau levou o título de campeão geral com 182, 267 pontos, deixando em segundo lugar Itajaí, com 177, 483, e Florianópolis, em terceiro lugar com 163,550 pontos.

Os atletas destaques da ginástica artística, ou seja, os melhores do torneio, que conquistaram a medalha de ouro no individual geral foram: Victor Hugo Rigueira Zagulski, 10 anos, de Blumenau, e Adriana Druck, 12 anos, de Itajaí. Eles foram os melhores em todos os aparelhos no primeiro dia de competição.

Brusque vence a ginástica rítmica

Na ginástica rítmica, Brusque foi campeã geral ao somar  54,08 pontos, deixando o município de Chapecó em segundo lugar com 53 cravados. Florianópolis fechou sua participação em terceiro lugar com 50, 55 pontos. O destaque individual coube a ginasta Thayná Martins, de Brusque.

Agora, após Blumenau sediar as competições da ginástica artística e ginástica rítmica, as atenções se voltam para São Bento do Sul, que no período de 7 a 14 de outubro sediará a etapa estadual da Olesc com as demais modalidades: atletismo, ciclismo, futsal, handebol, voleibol, basquete, judô, caratê, tênis, tênis de mesa e xadrez.

A Olesc é uma promoção do Governo do Estado, por intermédio da Fesporte, com parceria da Prefeitura de São Bento do Sul e 12ª Agência de Desenvolvimento Regional.

Informações adicionais para a imprensa
Antônio Prado
Assessoria de Imprensa 
Fundação Catarinense de Esporte - Fesporte
Fone: (48) 3665-6126/ 99696-3045
E-mail: prado@fesporte.sc.gov.br
Site: www.fesporte.sc.gov.br

 

Página 18 de 170