Encontre serviços oferecidos pelo Governo de SC

Reunimos neste site tudo o que o Governo pode fazer por você

Notícias em destaque

Serviços em destaque

Vídeos

Medalha Zilda Arns

Medalha Zilda Arns

A medalha Zilda Arns é uma justa homenagem a quem dedica a vida para fazer o bem às pessoas. Nesta semana, o governador Eduardo Pinho Moreira entregou o título ao médium Divaldo Pereira Franco. Homem que desenvolveu um belíssimo trabalho caritativo, fruto da vontade de servir o próximo.

Oportunidades

Próximos eventos


Fotos: Julio Cavalheiro / Secom

Dentro da programação do aniversário de 100 anos de Chapecó, no Oeste do Estado, o governador Raimundo Colombo, acompanhado do secretário de Estado da Educação, Eduardo Deschamps, participou do evento Educação Integral para o Século XXI, onde foi assinado o termo de compromisso entre o Governo do Estado, a prefeitura de Chapecó, a Federação das Indústrias de Santa Catarina (Fiesc) e o Instituto Ayrton Senna, para instituir e consolidar a proposta de educação integral nas redes de ensino. O evento contou com a participação de duas mil pessoas, no Centro de Eventos Plínio Arlindo de Nes.

Colombo destacou a importância de criar o ambiente adequado para promover o ensino integral e o trabalho desenvolvido pelo Instituto Ayrton Senna na área da Educação em todo o Brasil. "Essa união de forças vai nos permitir avançar em um dos eixos mais importantes do desenvolvimento social e até econômico, de qualquer sociedade. O conhecimento e o que é possível transformar através dele também está na forma de atrair o nosso estudante para a sala de aula e apresentar a eles novas habilidades e novas oportunidades", destacou o governador.


Foto: Divulgação / SST 

Prefeitos e gestores técnicos municipais de Santa Catarina participaram da segunda capacitação sobre as novas regras de regularização fundiária e habitação, na nesta sexta-feira, 25, em Chapecó. O evento faz parte da mobilização do Governo do Estado, via secretaria da Assistência Social, Trabalho e Habitação, para levar a mais de 300 mil famílias catarinenses os documentos que regularizam as propriedades. A base dos debates foi a lei federal 13.465, que trata do tema, sancionada no mês passado. Com este evento, mais de mil catarinenses estão aptos a trabalhar o assunto em seus municípios. 

O secretário de Estado da Assistência Social, Trabalho e Habitação, Valmir Comin, ficou muito satisfeito com a participação das pessoas e afirmou que o resultado é muito importante para a continuidade dos trabalhos. Ele relata que todos os cadastros são realizados via CAD Único, para a conferência real de renda. “Todos os municípios enfrentam o problema da falta de regularização fundiária, uns mais, outros menos. Mas, ao todo, temos em Santa Catarina mais de 300 mil famílias encarando este problema. Nossa meta é mudar esta realidade”, resumiu o secretário. 

Conforme informações do secretário Executivo de Habitação e Regularização Fundiária da SST, Leodegar Tiscoski, a partir de agora, cada município conseguirá dar início aos trabalhos de identificação das pessoas que não possuem documentação de seus terrenos, principalmente os de baixa renda, e montar cadastros para iniciar os processos. 

A capacitação, realizada no Centro de Cultura e Eventos Plínio Arlindo De Nes, foi promovida pela Secretaria de Estado da Assistência Social, Trabalho e Habitação (SST) por meio da Secretaria Executiva de Habitação e Regularização Fundiária, com parceria da Assembleia Legislativa do Estado de Santa Catarina (Alesc) e da Prefeitura Municipal de Chapecó.

Mais informações para a imprensa:
Kênia Pacheco
Assessoria de Comunicação
Secretaria de Estado da Assistência Social, Trabalho e Habitação - SST
Fone: (48) 3664-0916 / (48) 99984-1799
E-mail: ascom@sst.sc.gov.br
Site: www.sst.sc.gov.br


Foto: Márcio Henrique Martins / FCC

A Casa dos Açores, a primeira a ser reconhecida como espaço público desta natureza no Brasil, e que abriga o Museu Etnográfico da Fundação Catarinense de Cultura (FCC), em Biguaçu, recebe uma doação de caráter inestimável. O Grupo Arcos Pró-Resgate da Memória Histórica, Artística e Cultural de Biguaçu, doou seu acervo composto por trajes folclóricos originais das Ilhas dos Açores e Litoral catarinense, artesanato de referência cultural, instrumentos musicais, documentos, material bibliográfico, fotografias e audiovisual. O novo destino deste conjunto será a exposição permanente no espaço localizado às margens da BR-101.

O Grupo Arcos surgiu em 1989 para construir um processo de identificação e valorização do patrimônio material e imaterial da cultura de base açoriana do Litoral de Santa Catarina.  A presidente do grupo e historiadora Ana Lúcia Coutinho reforça o valor histórico do acervo repassado à FCC: são pelo menos 40 trajes originais, vindos do Arquipélago dos Açores e de residentes da região litorânea de Santa Catarina, entre peças típicas folclóricas, vestuários de camponeses, de trabalho, de festas e sociais de época. Há também utensílios de trabalho do século 19, como os tipitis (prensas ou espremedores de palha) e roca de fiar, carro-de-boi, e instrumentos de festas e musicais – pau-de-fita e violas de dois corações e da terra.

O acervo foi criado no início dos anos 1990, a partir da aquisição do próprio grupo e doações voluntárias da comunidade e também do Governo dos Açores em reconhecimento ao trabalho do grupo catarinense. Pelo termo de doação celebrado entre o Arcos e a FCC, o conjunto será destinado à exposição permanente na Casa dos Açores. “Não foi um passo fácil para nós, mas entendemos que o momento é importante e local é o mais apropriado para receber esse acervo. Trata-se da primeira Casa de Açores reconhecida no âmbito público no Brasil e também pela atenção que a nova gestão da FCC tem dado à valorização do patrimônio”, disse Ana Lúcia.

A Diretoria de Preservação do Patrimônio Cultural da FCC deu início ao projeto expográfico para o acervo que será executado no prazo de 12 meses. Para o presidente da FCC, Rodolfo Joaquim Pinto da Luz, a chegada deste material representará um novo momento para os trabalhos no Museu Etnográfico e o reconhecimento dos esforços na preservação do patrimônio. “É uma responsabilidade, mas também é uma honra receber este acervo que terá o destino digno que é a sua exposição permanente. Ele será muito importante no trabalho que estamos desenvolvendo para tornar o nosso museu referência para o país”, celebra o presidente, destacando também que a Casa dos Açores passará por um processo de restauro emergencial.

Sobre A Casa dos Açores

A Casa dos Açores, construída no século 19, abriga o Museu Etnográfico, no município de Biguaçu.  A Casa dos Açores é administrada pela Fundação Catarinense de Cultura (FCC). O imóvel foi adquirido pelo Governo do Estado de Santa Catarina em 1978, e passou por restauração para se transformar em museu, inaugurado no dia 4 de março de 1979.

O museu forma, junto com a Igreja de São Miguel Arcanjo, a chácara e os arcos do antigo aqueduto, um belo conjunto arquitetônico. Conta com acervo de móveis, roupas e outras peças que visam à preservação e ao estudo da cultura açoriana. O espaço serve também para divulgar obras de autores catarinenses e exposições, além de contar com a comercialização de artesanato local.

Informações adicionais para imprensa
Fernanda Peres
Assessoria de Comunicação Fundação Catarinense de Cultura
Telefone: (48) 3664-2571
E-mail: imprensa@fcc.sc.gov.br
Site: www.fcc.sc.gov.br 
Twitter: www.twitter.com/fccoficial  
Facebook: www.facebook.com/FundacaoCatarinensedeCultura 


Foto: James Tavares / Secom

Em entrevista no programa semanal Com a Palavra, o Governador, Raimundo Colombo destacou o novo radar meteorológico do Oeste, o Centro de Engenharia e Tecnologia da Embraer (Cete), os investimentos da Casan e a renovação do Fundo de Apoio aos Municípios (Fundam).


Fotos: Julio Cavalheiro / Secom

O governador Raimundo Colombo inaugurou nesta sexta-feira, 25, em Chapecó, o segundo radar meteorológico fixo de Santa Catarina. Situado no Loteamento Desbravador, ele vai cobrir 42% do território Catarinense, abrangendo 138 municípios. O investimento no radar de Chapecó foi de R$ 14 milhões.

Colombo destacou a amplitude do novo serviço. "Teremos a informação com mais qualidade e segurança e com a antecedência que nos permite planejar ações diantes de determinadas situações climáticas e que interferem no dia a dia das pessoas e até mesmo na economia dos municípios. E o importante é que essa informação qualificada esteja na mão do cidadão sem custo, o que já estamos implantando através do envio de alertas por SMS", destacou Colombo. 

Página 188 de 304