Encontre serviços oferecidos pelo Governo de SC

Reunimos neste site tudo o que o Governo pode fazer por você

Notícias em destaque

Serviços em destaque

Vídeos

Campanha Compre de SC

Campanha Compre de SC

O Governo do Estado lançou a campanha Compre de SC para incentivar o consumo de produtos produzidos em Santa Catarina. Além de estimular a produção interna e muitas vezes de pequenos produtores, a campanha faz a economia girar, gerando renda e emprego.

Oportunidades

Próximos eventos


Fotos: Jaqueline Noceti/Secom

Minimizar os impactos da greve dos caminhoneiros e manter a ordem pública são as prioridades neste momento do comitê de crise do Governo do Estado, segundo o Secretário de Defesa Civil, Rodrigo Moratelli. "Nós estamos trabalhando de forma integrada, entre todas as secretarias, para diminuir os impactos, criar estratégias e manter os serviços básicos, garantindo o bem estar da população", explicou Moratelli em coletiva na manhã desta quinta-feira, 24, que também teve a presença do secretário da Segurança Pública, Alceu de Oliveira Pinto Júnior, e da Agricultura e da Pesca, Airton Spies.

A situação em todo o Estado está sendo controlada no Centro de Integrado de Gerenciamento de Riscos e Desastres, o Cigerd, desde a última terça-feira buscando soluções para evitar danos à população e manter os serviços essenciais. Pela manhã, os três secretários atualizaram a situação no Estado e ações desenvolvidas para preservar a segurança e garantir o direito de ir e vir da população.


>>> Mais fotos na galeria

Medidas

A Secretaria de Segurança Pública está trabalhando com planejamento desenvolvido de acordo com as prioridades para agir de forma mais efetiva. A inteligência já está levantando as informações necessárias sobre as rodovias para garantir que elas não sejam totalmente bloqueadas. O secretário Alceu de Oliveira Júnior também deixou as aeronaves da Secretaria de Segurança Pública disponíveis caso exista a necessidade de busca de medicamentos e demais produtos de emergência.

Já na Agricultura os impactos são um pouco maiores por se tratar de produtos extremamente perecíveis e de bem estar animal. O secretário Airton Spiens afirma que já está em contato com a agroindústria, com o setor leiteiro e com as granjas para acompanhar e auxiliar no que for necessário. "Os impactos estão minimizados por conta de estratégias de colaboração entre as empresas e pelo esforço feito pelo Estado para que todos recebam a alimentação para os animais, evitando perdas e principalmente para que se mantenha a sanidade", disse.

Se ressalta a importância da colaboração de todos os cidadãos para que evitem situações críticas, além de ajudarem denunciando comportamentos abusivos relacionados a valores de produtos ligando para o 151 do Procon. 

Mais informações para a imprensa:
Assessoria de Comunicação
Secretaria de Estado da Comunicação - Secom
Governo de Santa Catarina
Fone: (48) 3665-3022
Site: www.sc.gov.br


Fotos: Julio Cavalheiro / Secom

Após um dia de agendas em Brasília e no Rio de Janeiro, o governador Eduardo Pinho Moreira participou de uma reunião na noite desta quarta-feira, 23, com secretários de Estado e comandantes das polícias para fazer o acompanhamento dos desdobramentos da paralisação dos caminhoneiros, que ocorre em todo o Brasil. No Estado, há bloqueios em rodovias federais e estaduais. A principal preocupação da administração é com as consequências de um desabastecimento em serviços essenciais para a população.

“Nós estamos atentos. Há um comitê de crise desde a terça-feira, reunidos há mais de 24 horas, acompanhando todas as situações em todos os segmentos da sociedade. Temos alguns mais urgentes do que outros. O que nós vamos garantir dentro do nosso Estado é a preservação da vida, a segurança e a garantia de ir e vir do cidadão catarinense”, afirmou o governador após o encontro, que ocorreu no Centro Integrado de Gerenciamento de Riscos e Desastres de Santa Catarina (Cigerd), inaugurado na semana passada na área continental de Florianópolis.


Foto arquivo:  Heron Queiroz / Fesporte

Começa nesta quarta-feira, dia 23, às 19h30, com a cerimônia de abertura no Centro de Eventos Hermann Purnhagen, em Rio do Sul, a etapa estadual da 11ª edição dos Jogos Abertos da Terceira Idade (Jasti) de Santa Catarina. Até sábado, dia 26, cerca de 2 mil atletas com idade a partir de 60 anos, de 172 municípios, disputarão nove modalidades esportivas: bocha, bolão, vôlei e handebol adaptados, além de truco, canastra, dominó, dança de salão e dança coreografada.

O evento é uma promoção do Governo de Santa Catarina, por meio da Fesporte, em parceria com a prefeitura de Rio do Sul e Agências de Desenvolvimento Regional (ADRs).


Fotos: Júlio Cavalheiro/Secom

Órgãos do governo estadual, como a Polícia Militar, a Secretaria de Agricultura e a Defesa Civil, monitoram desde a terça-feira as consequências em Santa Catarina da paralisação nacional dos caminhoneiros. No Estado, há pontos de bloqueio em rodovias estaduais e federais. As ações para minimizar os efeitos na população estão se concentrando no Centro Integrado de Gerenciamento de Riscos e Desastres de Santa Catarina (Cigerd), inaugurado na semana passada na região continental de Florianópolis.

“Viemos um momento de dificuldade no Brasil todo e aqui em Santa Catarina. Isso está trazendo consequências, intranquilidade e problemas para a população catarinense. Mas nós não estamos parados, estamos acompanhando todos os passos desse movimento. Tem um comitê de crise que está se reunindo desde terça-feira à noite para, dentro do possível, minimizar as situações criadas. Estive em Brasília hoje conversando com autoridades federais para mostrar a importância de encaminharmos soluções rápidas”, disse o governador, acrescentando que espera um desfecho rápido da situação, que envolve o governo federal.


>>> Mais fotos na galeria

Prioridades

De acordo com o secretário-adjunto da Defesa Civil, coronel Fabiano de Souza, a prioridade do governo estadual é mitigar o reflexo da paralisação em serviços essenciais à população. Ele cita ainda que os prejuízos econômicos também são um fator importante, mas que não devem ser colocados à frente das necessidades dos catarinenses.

No campo da agropecuária, a principal preocupação está em garantir a biossegurança do Estado, com a garantia do bem-estar animal. Aproximadamente, 60% do PIB agropecuário catarinense vêm da produção de proteína de origem animal e leite.

“A biossegurança é o foco principal das nossas preocupações. Queremos enviar qualquer problema que coloque em risco a sanidade do nosso rebanho”, afirma o secretário de Agricultura e Pesca, Airton Spies.


Foto: Mauren Rigo/SPG

O projeto de reestruturação do transporte coletivo da Região Metropolitana da Grande Florianópolis (RMF) foi detalhado na tarde de segunda-feira, 21, em seminário que apresentou soluções para mobilidade urbana, na UFSC, em Florianópolis. O evento foi promovido pelo Observatório da Mobilidade Urbana da UFSC e pela Superintendência de Desenvolvimento da Região Metropolitana da Grande Florianópolis (Suderf), órgão vinculado à Secretaria de Estado do Planejamento (SPG).

Durante o evento, o diretor técnico da Suderf, Célio Sztoltz, apresentou o projeto do transporte coletivo para oito cidades da região, que inclui a reorganização da rede de linhas de ônibus, projetos de infraestrutura viária, construção de novos terminais, modernização da frota de ônibus, formas de pagamento e compra de créditos, interação dos usuários com o sistema, política tarifária e indicadores de qualidade.

“O projeto vai trazer diversos benefícios para os usuários de ônibus, com ganho de tempo e qualidade dos serviços. É importante que a população também participe deste processo de reorganização do transporte coletivo, seja com sugestões ou críticas. Os usuários podem ajudar a aprimorar o projeto”, informou Célio.

O sistema integrado irá reunir os serviços municipais e intermunicipais com ampliação da abrangência das linhas e uso de um único cartão de transporte para toda a área continental da RMF. Mais de 150 mil usuários devem ser beneficiados.

Rede Integrada

A intenção do Governo do Estado e dos municípios da região metropolitana é integrar os serviços de transporte municipal e intermunicipal de caráter urbano de oito cidades da Grande Florianópolis (Águas Mornas, Antônio Carlos, Biguaçu, Governador Celso Ramos, Palhoça, São José, São Pedro de Alcântara e Santo Amaro da Imperatriz). O sistema metropolitano de ônibus vai eliminar sobreposição de linhas; racionalizar o serviço; aumentar a conectividade entre as centralidades da região, como centros de Palhoça e Biguaçu, além de Campinas/Kobrasol em São José; e promover uma gestão associada do transporte coletivo entre municípios, Estado e sociedade.   

O projeto da Rede Integrada de Transporte Coletivo Metropolitano está disponível neste endereço. No mapa é possível consultar as linhas de ônibus por município e as conexões entre as cidades.

Seminário

Durante o Seminário Transporte Coletivo na Região Metropolitana da Grande Florianópolis ainda foram apresentados estudos e propostas relacionados à acessibilidade espacial e à experiência da região metropolitana de Lisboa com palestra do professor catedrático do Instituto Superior Técnico de Lisboa Fernando Nunes da Silva. Outro tema em discussão foi a redução da emissão de poluentes e melhorias para a saúde pública, assunto apresentado pelo coordenador do Grupo de Trabalho de Transporte Limpo e Energias Renováveis do Comitê de Mudanças Climáticas de São Paulo Olimpio de Melo Alvares Junior.

Mais informações para a imprensa:
Mauren Rigo
Assessoria de Comunicação
Secretaria de Estado do Planejamento
(48) 3665-3319 / 9-9186-9740
mauren@spg.sc.gov.br




Página 20 de 343