Foto: James tavares/Arquivo/Secom

O ecossistema de inovação de Santa Catarina receberá um incremento de R$ 3,5 milhões da Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação do Estado de Santa Catarina (Fapesc) neste fim de ano. São dois editais diferentes, um deles voltado aos Centros de Inovação e o outro às Instituições de Pesquisa Científica e Tecnológica (ICTs). As propostas devem ser submetidas no site www.fapesc.sc.gov.br até 8 de novembro deste ano para ambos. 

No caso dos Centros de Inovação, será destinado R$ 1,5 milhão com a finalidade de contribuir na implantação ou fortalecimento dos complexos que já estão em operação por meio de ajuda de custo para a realização de eventos. Cada proposta contemplada receberá até R$ 100 mil.

“Temos o compromisso de sermos reconhecidos como um Estado competitivo e inovador. As ações integradas da SDE (Secretaria de Desenvolvimento Econômico) juntamente com a força das vinculadas, como a Fapesc, que atua frente ao fomento da pesquisa e da inovação, são alicerce para o fortalecimento deste ecossistema empreendedor que já faz a diferença no desenvolvimento econômico de Santa Catarina”, destaca o secretário da SDE, Lucas Esmeraldino.

O diretor de Ciência, Tecnologia e Inovação da Fapesc, Amauri Bogo, completa que como fomentadora e incentivadora da política de inovação, a Fapesc tem em seu planejamento estratégico editais voltados para a área e que ajudam na consolidação do ecossistema.

Podem apresentar propostas os Centros de Inovação que integram o Programa do Governo do Estado de Santa Catarina, por meio da Secretaria de Desenvolvimento Econômico Sustentável (SDE), ou outros habitats de inovação vinculados aos Comitês de Implantação dos Centros de Inovação. 

“A ideia é fortalecer e consolidar o ecossistema nas regiões onde os centros ainda são incipientes e também promover ações que são típicas dos centros de inovação naqueles locais onde o ecossistema está mais desenvolvido”, enfatiza o gerente de Inovação e Tecnologia da Fapesc, Jefferson Fonseca.

Para ele, “o desenvolvimento de uma cultura do empreendedorismo e da inovação é fundamental, é o terreno fértil onde nasce e cresce um ecossistema diverso, forte e sustentável. A Fapesc quer injetar recursos, ânimo, atividades em toda Santa Catarina”.

Integração universidades com o setor produtivo

Já no caso do edital voltado às ICTs, são R$ 2 milhões para implantação e consolidação de Núcleos de Inovação Tecnológica (NITs). O objetivo é possibilitar a capacitação das equipes, atividades de pesquisa e macro ações que levem à realização, aprimoramento, desenvolvimento e difusão de boas práticas dos núcleos.

Com o edital, a Fapesc pretende ainda possibilitar atividades direcionadas ao processo de consolidação da cultura da inovação por meio da prospecção tecnológica, proteção intelectual, propriedade intelectual (PI), empreendedorismo, transferência de tecnologia e gestão dos ativos tecnológicos e do capital intelectual junto às ICTs para o desenvolvimento do ecossistema de inovação e pesquisa aplicada em Santa Catarina.

De acordo com o diretor Amauri Bogo, os NITs fazem o elo entre as instituições e as empresas gerando novos produtos que venham a contribuir com a sociedade: “O fortalecimento dos NITs é muito importante, pois são os agentes que ligam as universidades ao empreendedorismo ampliando a filosofia do pensar de inovação tecnológica”. 

Informações adicionais para imprensa:
Francieli Oliveira
Assessoria de Imprensa
Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação do Estado de SC - Fapesc
E-mail: francieli@fapesc.sc.gov.br
Telefone: (48) 3665-4812 / 9.9927-4159
Site: www.fapesc.sc.gov.br 


Equipes se reuniram na sexta-feira, 18, e trabalhos seguiram até domingo. Foto: Mauricio Vieira / Secom

Correção: A equipe que ficou em terceiro lugar no Hackathon #Desenvolve SC 2019 também desenvolveu uma solução para reduzir a falta em consultas médicas. O texto havia informado equivocadamente que se tratava de um sistema para otimizar rotas do transporte escolar. A notícia foi corrigida às 11h35 de 22 de outubro de 2019.

Um sistema para reduzir o número de pacientes faltantes em consultas médicas agendadas pelo SUS. Essa foi a solução vencedora da edição 2019 do Hackathon #Desenvolve SC. A ferramenta faz o cruzamento de informações em diferentes bancos de dados para traçar um perfil dos usuários que faltam às consultas da rede pública e poderá ser adotada pelo Governo de Santa Catarina. 

O secretário da Administração, Jorge Eduardo Tasca, explica que o Hackathon #Desensolve SC, que ocorreu neste fim de semana no Centro de Informática e Automação de Santa Catarina (Ciasc), em Florianópolis, é uma oportunidade importante para melhorar os serviços prestados aos cidadãos. “Agora, passamos a estreitar a parceria entre os idealizadores das soluções tecnológicas vencedoras e a equipe do Ciasc, que fará a adaptação dos sistemas para a realidade do estado e indicará se as soluções são eficazes ou precisam ser reajustadas”, explicou.

>> Mais fotos disponíveis na galeria

A equipe que ficou em terceiro lugar também desenvolveu uma ferramenta para reduzir a falta em consultas médicas da rede pública. Em Santa Catarina, o absenteísmo representou cerca de 30% dos agendamentos pelo SUS em 2018, o que representa mais de 40 mil pacientes faltantes. “Se os gestores da Saúde pudessem antever as faltas, seria possível reordenar os atendimentos, diminuindo o tempo de espera de outros usuários e evitar a ociosidade de profissionais. O Estado e o cidadão seriam beneficiados”, disse o secretário de Saúde Helton de Souza Zeferino.



Equipe vencedora do Hackathon #Desenvolve SC 2019. Foto: Krislei Oechsler / SEA

Jogo interativo para ajudar estudantes e gestores na área de educação

Além dessas ferramentas para a área da saúde, outra solução tecnológica para resolver desafios na educação também será analisada para ser implementada no estado. Segundo lugar na maratona tecnológica, a solução trata da orientação dos estudantes para escolha do currículo do Ensino Médio. A equipe apresentou um jogo interativo que estimula o aluno a definir as disciplinas que irão compor o currículo escolar, de acordo com um questionário que aponta as preferências pessoais e o rendimento escolar.


Foto: Mauricio Vieira / Secom

Evento também incentiva desenvolvimento de empresas de tecnologia

O Hackathon #Desenvolve SC começou na sexta-feira, 18, e finalizou neste domingo, 20, com a premiação das equipes vencedoras. Promovido pela secretaria de Estado da Administração em conjunto com o Ciasc, secretarias da Saúde e Educação, Fapesc, Via Ufsc e outras instituições apoiadoras, o evento reuniu mais de 200 pessoas.

“A ideia de premiar as melhores soluções, apresentadas em formas de produtos, é uma forma de incentivar a participação no evento e de fomentar o desenvolvimento de startups e empresas de tecnologia no estado” disse o presidente do Ciasc, Sergio André Maliceski, durante a cerimônia de premiação das três equipes vencedoras. Elas receberam premiações em dinheiro, sendo R$ 7 mil para o primeiro lugar, R$ 4,5 mil para o segundo, e R$ 2,5 mil para o terceiro colocado. Além disso, os três primeiros colocados ganharam serviços e espaços de armazenamento de dados.

“É um privilégio ter vindo participar desse desafio e perceber como Santa Catarina é um estado inovador”, disse Gustavo Rocha Pereira de Souza, que veio do Paraná e atuou como programador da equipe vencedora.

Informações adicionais para imprensa
Krislei Oechsler
Assessoria de Imprensa
Secretaria de Estado da Administração - SEA
E-mail: comunicacao@sea.sc.gov.br
Fone: (48) 3665-1636 /(48) 99105-4085
http://www.sea.sc.gov.br 

Os participantes da 3° edição do Hackathon #Desenvolve SC iniciam o processo de imersão na busca por soluções nas áreas da Saúde e Educação a partir desta sexta-feira, 18. A maratona tecnológica, que segue até domingo, irá reunir cerca de 70 designers, profissionais de negócios e programadores na sede do Centro de Informática e Automação de Santa Catarina (Ciasc), no bairro Itacorubi, em Florianópolis. No local, haverá área de lazer para crianças e completa estrutura de alimentação, da Associação dos Food Trucks de Florianópolis, durante o fim de semana.

O objetivo do evento é trazer ações de inovação e tecnologia para aprimorar os processos do Governo do Estado. “A cada dia, as pessoas passam a utilizar mais ferramentas digitais e tecnológicas para facilitarem suas rotinas. E percebemos que também precisamos deixar o Estado mais acessível ao cidadão, facilitando o acesso aos serviços. Por isso, a maratona surge como uma oportunidade importante de transformação digital“, afirma o secretário de Estado da Administração, Jorge Eduardo Tasca.

Os gestores e técnicos de cada área apontaram os desafios em Saúde e Educação, para serem trabalhados durante a maratona. O foco é priorizar os serviços que têm maior potencial de impactar positivamente a vida das pessoas.

Programação da 3° edição do Hackathon #Desenvolve SC

Sexta-feira, 18
18h às 24h Recepção, palestra de abertura, formação de equipes
Local: Sede do Ciasc, na Rua Murilo Andriani, 327, no bairro Itacorubi, em Florianópolis 

Sábado, 19
8h às 23h Desenvolvimento das ações pelos participantes
11h às 22h Food trucks no local
Local: Sede do Ciasc, na Rua Murilo Andriani, 327, no bairro Itacorubi, em Florianópolis 

Domingo, 20
8h15 às 23h Mentorias finais, apresentação dos pitchs e divulgação dos vencedores
11h às 22h Food trucks no local
Local: Sede do Ciasc, na Rua Murilo Andriani, 327, no bairro Itacorubi, em Florianópolis 

Atendimento à imprensa
Profissionais da imprensa interessados em cobrir o evento poderão comparecer no local a qualquer hora e fazer contato com a assessoria de comunicação da Secretaria de Estado da Administração.

Informações adicionais para imprensa
Krislei Oechsler
Assessoria de Imprensa
Secretaria de Estado da Administração - SEA
E-mail: comunicacao@sea.sc.gov.br
Fone: (48) 3665-1636 /(48) 99105-4085
http://www.sea.sc.gov.br 

 Fotos: Julio Cavalheiro/Secom

O surgimento de novos produtos e o aumento da competitividade da indústria catarinense estão entre os objetivos do Programa de Apoio à Inovação Tecnológica, o Tecnova II, lançado pela Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação do Estado de Santa Catarina (Fapesc) e Financiadora de Inovação e Pesquisa (Finep). Para tal, serão investidos R$ 7,5 milhões para subsidiar os projetos aprovados no edital.

Santa Catarina foi o primeiro a lançar o Tecnova II. “O Estado é exemplo para o país, lugar onde a gente lança os programas e os programas dão êxito, resultado para o país. Isso porque os empreendedores entendem a importância que é receber essa subvenção”, afirma o gerente da Finep, Marcelo Camargo.

“A inovação é um dos motores da competitividade das empresas, que gera desenvolvimento econômico do nosso Estado e que vem se consolidando como referência tecnológica. O Governo catarinense incentiva programas como o Tecnova, que vem trazendo resultados, inspirando pessoas e trazendo novas soluções para os problemas da sociedade”, destaca o secretário de Estado do Desenvolvimento Econômico Sustentável (SDE), Lucas Esmeraldino.

O secretário-adjunto da pasta, Amândio João da Silva Junior, ressalta a relação cada vez mais próxima do Governo com o ecossistema de inovação catarinense: “Não existe outro caminho para que continuemos com os bons números em Santa Catarina que não seja a tecnologia e inovação. Existe um esforço gigantesco do Estado para seguir neste caminho e programas como Tecnova nos mostram que estamos no caminho certo”.

Novidades em 2019

O presidente da Fapesc, Fábio Zabot Holthausen, explica duas novidades implantadas nesta segunda edição do Tecnova. “Uma delas é a qualificação das áreas temáticas. Isso significa que o Governo está perseguido política pública e tentando identificar prioridades e cada vez mais utilizar os recursos públicos para resolver os problemas e gargalos do Estado como um todo e colocando esses desafios para vocês”, afirma Zabot.

A outra novidade é a regionalização, fazendo com que todas as áreas de Santa Catarina possam ser contempladas. “Estamos trabalhando com 11 regiões metropolitanas e o primeiro projeto vai concorrer na sua região. Isso para respeitar a diversidade e contemplar pelo menos um projeto de cada parte do estado, interiorizando o desenvolvimento a inovação em todos cantos de SC”, explica Holthausen.

Prazo

As propostas devem ser submetidas até 29 de novembro de 2019 no site www.fapesc.sc.gov.br. Cada projeto poderá receber de R$ 150 mil a R$ 300 mil.

O Programa Tecnova é voltado para empresas, independentemente do tipo societário sob o qual estejam constituídas, que se encaixem em requisitos como: faturamento bruto anual de até R$ 16 milhões; data de registro na Junta Comercial ou no Registro Civil das Pessoas Jurídicas de sua jurisdição até pelo menos seis meses antes do lançamento do edital (15/04/2019); garanta o oferecimento de Contrapartida Financeira mínima de 5%; demonstre ter efetuado qualquer atividade operacional, não-operacional, patrimonial ou financeira até pelo menos três meses antes do lançamento do edital (15/07/2019); objeto social que contemple atividade compatível com a que será desempenhada no projeto proposto na data de divulgação do presente edital.

As propostas devem se encaixar nas seguintes temáticas: Tecnologias da Informação e Comunicação; Saúde; Inovação, Diversificação e Competitividade; Cadeia Produtiva de Alimentos; Gestão Pública e Turismo.

Dos 7,5 milhões disponibilizados pelo Tecnova, R$ 5 milhões são financiados pela Finep e os outros R$ 2,5 milhões serão investidos pela Fapesc.

Informações adicionais para imprensa:
Francieli Oliveira
Assessoria de Imprensa
Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação do Estado de SC - Fapesc
E-mail: francieli@fapesc.sc.gov.br
Telefone: (48) 3665-4812 / 9.9927-4159
Site: www.fapesc.sc.gov.br 


Foto: Arquivo/Fapesc

A Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação do Estado de Santa Catarina (Fapesc) lança a 8ª edição do Prêmio Stemmer Inovação Catarinense. O objetivo da premiação é reconhecer os esforços bem-sucedidos de gestão que auxiliam no desenvolvimento do empreendedorismo inovador de Santa Catarina. As inscrições seguem até 25 de outubro.

Serão premiadas iniciativas em 11 categorias: Agente de Inovação; Professor Inovador; Jovem Inovador; TCC Inovador; Inventor Independente; ICT Inovadora; Empresa Inovadora; Inovação em Produto; Inovação em Serviço ou Processo; Inovação de Impacto Socioambiental, e Governo Inovador. Os três primeiros lugares de cada categoria receberão certificados, troféus e premiação em dinheiro, sendo R$ 15 mil para o vencedor, R$ 10 mil para segundo colocado e R$ 5 mil para o terceiro. A cerimônia ocorre em dezembro, em data a ser definida. 

Quem pode participar

A intenção do Prêmio Stemmer é estimular estudantes, professores, pesquisadores e inventores independentes, bem como empresas, instituições e órgãos públicos (municipais e estaduais). Além de reconhecer a importância dos vencedores no auxílio ao desenvolvimento dos ecossistemas de empreendedorismo catarinense.

 “O Prêmio Stemmer é um momento especial, de reconhecimento aos que colocam em prática ideias inovadoras que tanto contribuem com o desenvolvimento econômico de Santa Catarina”, reforça o presidente da Fapesc, Fábio Zabot Holthausen.

Serão consideradas elegíveis as pessoas, individualmente ou em equipe, instituições, órgãos públicos estaduais e municipais e empresas que geraram ou absorveram novidades e aperfeiçoamentos em processos ou produtos no ambiente social ou empresarial, lançados ou implementados entre 2017 e 2019.

“O Prêmio enaltece os protagonistas da inovação no Estado, e a SDE apoia iniciativas como essa. Um reconhecimento e incentivo à busca de soluções para os problemas das famílias catarinenses, que estimulam a concorrência e impulsionam o desenvolvimento econômico de Santa Catarina”, avalia o secretário de Estado do Desenvolvimento Econômico Sustentável, Lucas Esmeraldino.

Homenagem ao professor Caspar Erich Stemmer

O Prêmio, que chega à 8ª edição, foi criado pela Lei 14.328, de 2008, a Lei Catarinense de Inovação. A premiação homenageia o Professor Caspar Erich Stemmer, personalidade catarinense de destaque nacional no desenvolvimento da ciência, tecnologia e inovação.

Serviço:

O quê: Prêmio Stemmer Inovação Catarinense
Inscrições: 1 a 25 de outubro de 2019 na Plataforma Fapesc 
Categorias: Agente de Inovação, Professor Inovador, Jovem Inovador, TCC Inovador, Inventor Independente, ICT Inovadora, Empresa Inovadora, Inovação em Produto, Inovação em Serviço ou Processo, Inovação de Impacto Socioambiental e Governo Inovador.

Informações adicionais para imprensa:
Francieli Oliveira
Assessoria de Imprensa
Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação do Estado de SC - Fapesc
E-mail: francieli@fapesc.sc.gov.br
Telefone: (48) 3665-4812 / 9.9927-4159
Site: www.fapesc.sc.gov.br 


Foto: Filipe Scotti/Fiesc

Com o objetivo de aumentar a competitividade e o desenvolvimento social, econômico, científico e tecnológico catarinense, a Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Santa Catarina (Fapesc) e a Federação da Indústria do Estado de Santa Catarina (Fiesc), por meio do Instituto Euvaldo Lodi (IEL), lançaram a segunda edição do Programa Talento Inovador.

“O Talento Inovador viabiliza a inserção de um bolsista, que vem da academia, para que ele auxilie na implementação da inovação dentro do setor produtivo. Desta forma, tanto a academia, porque coloca em prática os conhecimentos desenvolvidos nas universidades, quanto o setor produtivo, que possibilita a implementação de uma nova solução, saem ganhando. Isso também pode ser aplicado dentro do setor público”, explica o presidente da Fapesc, Fábio Zabot Holthausen.

“É Santa Catarina apostando em conhecimento. Iniciativas como estas demonstram a importância de uma integração entre o poder público, empresas e as entidades. Este programa vai promover talento e tecnologia, gerando postos de trabalho qualificados, elementos-chave para o desenvolvimento competitivo das regiões”, destaca o secretário de Estado do Desenvolvimento Econômico Sustentável, Lucas Esmeraldino.

Para o superintendente do IEL-SC, José Roberto Fiates, a inserção do bolsista na empresa, por meio do Talento Inovador, promove a inovação. Ele lembra que haverá o acompanhamento técnico do Instituto: "Nossa intenção é criar uma rede de jovens inovadores inseridos em empresas inovadoras".


Presidente da Fapesc exalta Programa 

Como participar

Como o edital é em modalidade de fluxo contínuo, não há prazo para a submissão da proposta. Podem participar empresas, Instituições de Ciência, Tecnologia e Inovação (ICTIs) públicas e privadas, órgãos de governo e entidades do terceiro setor, sediadas em Santa Catarina, interessadas em apresentar projetos de Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação (PDI).

O Programa vai viabilizar a concessão de bolsas de desenvolvimento tecnológico e extensão inovadora, na modalidade Desenvolvimento Tecnológico Industrial (DTI), por intermédio de recursos das intervenientes, para o desenvolvimento e fixação de graduados, mestrandos ou mestres e doutorandos ou doutores.

O IEL irá orientar as intervenientes na elaboração do projeto de PDI, além de identificar e selecionar os bolsistas, de acordo com os perfis por elas descritos e acompanhar e avaliar as atividades dos bolsistas e coordenadores dos projetos de PDI aprovados para verificação do andamento das atividades propostas e realizadas.

O quê: Talento Inovador
Objetivo: aumentar a competitividade e o desenvolvimento social, econômico, científico e tecnológico catarinense
Como submeter: http://plataforma.fapesc.sc.gov.br/fapesc/
Edital: www.fapesc.sc.gov.br

Informações adicionais para imprensa:
Francieli Oliveira
Assessoria de Imprensa
Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação do Estado de SC - Fapesc
E-mail:
francieli@fapesc.sc.gov.br
Telefone: (48) 3665-4812 / 9.9927-4159
Site: www.fapesc.sc.gov.br 



Fotos: Divulgação / Fapesc 

Santa Catarina terá mais uma oportunidade de fomento às novas ideias. A Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação do Estado (Fapesc) e o Sebrae lançaram nesta quinta-feira, 19, o Programa NaSCer, que já chega com uma meta ousada: ser o maior de pré-incubação do país. O lançamento foi durante a reunião do Pacto pela Inovação.

Nesta primeira etapa, serão realizadas inscrições e seleções para ideias inovadoras, ainda em fase inicial, que ao passar pela pré-incubação têm o objetivo de chegar mais maduras à fase de incubação, aumentando assim, as possibilidades de sucesso. Nesta fase, as empresas serão preparadas para ocupar os habitats de inovação do Estado, fortalecendo o ecossistema. Após esta etapa, passam a integrar os Centros de Inovação de SC.

O presidente da Fapesc, Fábio Zabot Holthausen, lembrou que a atuação da Fundação e do Sebrae tem objetivos comuns. “O Programa NaSCer vem para fortalecer ainda mais o ecossistema de inovação catarinense, que já é destaque no Brasil”, afirma.

“Nosso objetivo com o Programa NaSCer é criar uma trilha da inovação, incentivar a criação de startups e contribuir para o surgimento de novos empreendedores, que essas empresas cresçam e se desenvolvam”, acrescenta o superintendente do Sebrae, Carlos Henrique Ramos Fonseca.

Para o secretário adjunto da Secretaria de Desenvolvimento Econômico Sustentável (SDE), Amandio João da Silva Júnior, não existe outro caminho para o crescimento de Santa Catarina que não passe pela inovação.

“A SDE é parceira deste projeto e vai atuar juntamente com o Sebrae e a Fapesc na seleção destas startups que queiram ser incubadas e na ativação do sistema de inovação no Estado”, explica o diretor de Ciência, Tecnologia e Inovações, Sandro Yuri Pinheiro.

No primeiro ano, 300 ideias pré-incubadas

O Programa NaSCer irá envolver 15 polos em todas as regiões de Santa Catarina e cerca de 1.500 participantes envolvidos nas equipes.

“Serão duas turmas em cada um dos Centros de Inovação, uma no primeiro semestre de 2020 e a outra no segundo semestre. Cada uma dessas turmas terá 10 ideias aceitas e cada equipe pode ter até cinco integrantes. Vamos chegar ao fim do primeiro ano envolvendo 1.500 empreendedores”, garante o gerente de Inovação e Tecnologia da Fapesc, Jefferson Fonseca.

“São negócios que receberão mentoria, capacitação e que chegarão ao fim do processo muito mais maduros”, acrescenta o gerente.

Pacto pela Inovação

O programa NaSCer foi lançado durante a reunião do Pacto pela Inovação que envolve cerca de 40 entidades do Estado que tem o objetivo de colocar Santa Catarina como referência mundial no setor.

O encontro serviu para organização dos Grupos de Trabalho e integração entre os representantes dos Comitês de Implantação dos Centros de Inovação em cada região do Estado. Foram elencados novos objetivos e ações para o próximo ano. Os Grupos de Trabalho atuaram com base nos quatro pilares estabelecidos: conhecimento e talentos; acesso à Capital e atração de investimentos; infraestrutura e redes e colaboração.


Informações adicionais para imprensa:
Francieli Oliveira
Assessoria de Imprensa
Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação do Estado de SC - FAPESC
E-mail: francieli@fapesc.sc.gov.br
Telefone: (48) 3665-4812 / 9.9927-4159
Site: www.fapesc.sc.gov.br

 



Ajudar na eficiência e na agilidade dos serviços prestados ao cidadão, envolver comunidade universitária na gestão estadual, além de conhecer pessoas novas e concorrer a prêmios. Estas podem ser algumas das motivações para participar do Hackathon #DesenvolveSC 2019, que está com inscrições abertas até quando restarem as vagas. O evento, que está na 3° terceira edição, será nos dias 18, 19 e 20 de outubro no Centro de Informática e Automação do Estado de Santa Catarina (Ciasc).

O edital do Hackathon #DesenvolveSC foi lançado nesta quinta-feira, 5. Neste ano, a maratona de desenvolvimento tem foco na busca de soluções e na transformação digital dos serviços da Saúde e Educação. Tudo para desburocratizar e agilizar a entrega dos resultados às pessoas.

As inscrições podem ser feitas neste site.  São oferecidas 70 vagas para as áreas de tecnologia da informação e comunicação, design e profissional de negócios. As inscrições são individuais e condicionadas ao pagamento de uma taxa de R$ 30. Os participantes podem ser atuantes ou estudantes nas áreas contempladas no desafio. Durante os dias do evento, a comissão organizadora proporcionará refeições, postos para desenvolvimento das ações e locais de descanso, além de premiação em dinheiro para a melhor proposição.

Clique aqui e conheça o edital na íntegra

Texto: Rafaela Gesser

Informações adicionais para imprensa
Krislei Oechsler
Assessoria de Imprensa
Secretaria de Estado da Administração - SEA
E-mail: comunicacao@sea.sc.gov.br
Fone: (48) 3665-1636 /(48) 99105-4085
http://www.sea.sc.gov.br 

Foto: Ricardo Wolffenbüttel/Secom

O espírito empreendedor do catarinense está evidente nos resultados da primeira fase do Programa Centelha fazendo o Estado ser destaque no país. Foram submetidas 1.222 ideias, envolvendo 3.079 participantes. Ao fim do processo, serão selecionados 28 projetos que receberão R$ 60 mil e acompanhamento técnico. O valor total investido no programa em Santa Catarina é R$ 1,68 milhão. 

“Estamos muito contentes com o resultado da primeira fase do Programa Centelha, vimos um engajamento de várias regiões do Estado com seus empreendedores motivando e auxiliando o desenvolvimento de ideias”, enaltece o presidente da Fapesc, Fábio Zabot Holthausen.

O chefe do órgão ainda lembra do bom resultado em nível nacional atingido pelo programa: “São resultados muito expressivos, claro que nem todos os Estados já concluíram o processo que tem prazos distintos, mas Santa Catarina é até o momento o estado com mais ideias submetidas nessa primeira fase”. 

O vizinho Rio Grande do Sul, por exemplo, conseguiu chegar ao fim da primeira fase com 784, ideias submetidas.

Florianópolis e Lages em destaque
Os 3.079 participantes representam 110 municípios catarinenses. Florianópolis, com 288, e Lages, com 151, lideram em número de projetos inscritos. Em seguida aparece Blumenau com 140, Joinville com 97, Criciúma com 50, Chapecó com 39, Tubarão com 33, Joaçaba com 28 e Rio do Sul com 27 fecham a lista dos dez melhores posicionados. “Pudemos acompanhar uma boa disputa nos últimos dias entre Lages e Blumenau”, lembra Holthausen.

Quando se fala em região, o destaque vai para o Oeste e Sul com 27 cidades envolvidas em cada uma delas. Do Vale do Itajaí aparecem 26 municípios, 12 do Norte e as regiões de Florianópolis e Serrana com nove municípios cada. 

Ao longo do processo de submissão foram realizados eventos, com a colaboração de parceiros, em diversos municípios com a intenção de envolver o maior número possível de catarinenses. 

Saúde e bem-estar com maior número de propostas 
O setor de Saúde e Bem-estar foi o que recebeu o maior número de propostas, foram 324, seguida de perto por Tecnologia da Informação e Telecomunicações. Também aparecem em destaque Comércio e Varejo, Meio Ambiente e Bioeconomia, Economia Criativa e Agronegócio. Soluções para a Administração Pública está em 88 propostas.

Idade média dos participantes
A maioria dos proponentes, 389, tem entre 31 e 40 anos. Depois aparece a faixa mais jovem, entre 18 e 24 anos, com 338 participantes. São ainda 280 pessoas entre 25 e 30 anos; 127 entre 41 e 50; 67 com idades entre 51 e 60; 16 entre 61 e 70 anos e cinco com idades acima de 70 anos.

200 ideias passam de fase
O gerente de Tecnologia e Inovação da Fapesc, Jefferson Fonseca, explica que todas as 1.222 propostas passam pelo crivo de dois avaliadores. “Um é de caráter mais técnico e o outro de caráter mais mercadológico. Serão avaliados a inovação que a ideia apresenta, a solução do problema e se tem um impacto social dentro do ecossistema catarinense”, ressalta. No total, 230 avaliadores se cadastraram de forma voluntária e irão contribuir com o Programa Centelha.

Dessas ideias, 200 passarão de fase. “Essa próxima fase será avaliada a proposta de empreendimento, ou seja, como se pretende transformar essa ideia em dinheiro”, conta o gerente. 

Ainda haverá uma terceira etapa, para a qual passarão 100 propostas e 28 serão contempladas e contratadas. 

 Fábio Zabot Holthausen | Foto: Ricardo Wolffenbüttel/Secom

O Programa Centelha
A intenção do Programa Centelha é estimular a criação de empreendimentos inovadores, a partir da geração de novas ideias, e disseminar a cultura do empreendedorismo inovador em todo território nacional, incentivando a mobilização e a articulação institucional dos atores nos ecossistemas locais, estaduais e regionais de inovação do país. 

“Programas como o Centelha dão a oportunidade de tirar do papel aquela ideia inovadora e colocar em prática soluções que vão trazer mais qualidade de vida à população. Esta é a missão da Fapesc, vinculada à SDE (Secretaria de Desenvolvimento Econômico), e que tem um papel fundamental de incentivar ações para ciência, pesquisa e inovação que por meio de repasse de recursos dissemina o conhecimento em todas as regiões do Estado”, complementa o secretário de Desenvolvimento Econômico Sustentável, Lucas Esmeraldino. 

Dos R$ 1,68 milhão em recursos, R$ 1,1 milhão vem da Financiadora de Estudos e Projetos (FINEP) e R$ 580 mil da Fapesc.

O Centelha é promovido pelo Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC) e pela FINEP, em parceria com o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) e o Conselho Nacional das Fundações Estaduais de Amparo à Pesquisa (Confap), operada pela Fundação CERTI e executada em Santa Catarina pela Fapesc.

Informações adicionais para imprensa:
Francieli Oliveira
Assessoria de Imprensa
Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação do Estado de SC - Fapesc
E-mail: francieli@fapesc.sc.gov.br
Telefone: (48) 3665-4812 / 9.9927-4159
Site: www.fapesc.sc.gov.br 

 

 Marco Antonio Zago, presidente da Fapesp, e Fábio Zabot Holthausen, presidente da Fapesc, assinam o termo de coperação | Foto: Felipe Maeda/ Agência Fapesp

Santa Catarina e São Paulo assinaram um termo de cooperação bilateral, nesta quinta-feira, durante o Fórum do Conselho Nacional das Fundações de Amparo à Pesquisa (Confap), na capital paulista. Com isso, os dois estados irão lançar projetos e editais unindo pesquisadores e gerando soluções visando o desenvolvimento econômico.

Para o presidente da Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação do Estado de Santa Catarina (Fapesc), Fábio Zabot Holthausen, essa parceria com a Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação do Estado de São Paulo (Fapesp) é um importante passo para abrir as fronteiras da pesquisa e inovação entre Santa Catarina e São Paulo. “Essa cooperação irá permitir que problemas dos Estados e necessidades das empresas sejam trabalhados de forma compartilhada gerando soluções conjuntas e novos recursos para o desenvolvimento das regiões”.

Ainda de acordo com Holthausen, cada uma das Fundações de Pesquisa (FAPs) fará o processo seletivo nas suas respectivas unidades da federação e os recursos serão aplicados dentro de cada realidade local. Entre os motivos que levaram à assinatura do termo de cooperação está o interesse comum em promover o avanço da ciência e o desenvolvimento tecnológico.

Se encaixam dentro do termo de cooperação: projetos e editais conjuntos de pesquisa conduzidos por cientistas dos dois estados; atividades de intercâmbio científico que ajudem a preparar a base para a elaboração de projetos de pesquisa cooperativos entre equipes catarinenses e paulistas, incluindo visitas de intercâmbio científico, workshops e seminários científicos bilaterais; intercâmbio de quaisquer informações que sejam relevantes para os objetivos do Memorando de Entendimento; outras ações de apoio à pesquisa cooperativa entre equipes dos respectivos estados.

O primeiro edital será lançado ainda no segundo semestre de 2019.

Informações adicionais para imprensa:
Francieli Oliveira
Assessoria de Imprensa
Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação do Estado de SC - Fapesc
E-mail: francieli@fapesc.sc.gov.br
Telefone: (48) 3665-4812 / 9.9927-4159
Site: www.fapesc.sc.gov.br