Foto: Mauricio Vieira / Secom

A chamada para a primeira reunião de pais da EEB Professor Ângelo Cascaes Tancredo, nesta quinta-feira, 13, lotou o ginásio da escola de Palhoça que aderiu ao modelo cívico-militar proposto pelo MEC. O encontro foi o momento de a direção da escola apresentar para os responsáveis dos  612 alunos o regulamento da unidade de ensino. Este foi o primeiro passo de uma série de ações que fazem parte da implementação do modelo, nesta e em mais duas escolas estaduais catarinenses.


Foto: Mauricio Vieira / Secom

Santa Catarina terminou o ano de 2019 com o desemprego em queda. Dados da PNAD Contínua, divulgados pelo IBGE nesta sexta-feira, 14, apontam que o estado teve uma taxa de desocupação de 5,3% no quarto trimestre, a menor do Brasil. O número representa uma queda em relação ao terceiro trimestre, quando o índice estava em 5,8%.

O indicador é fruto da boa geração de empregos no ano passado, quando o estado teve um saldo positivo de 71,4 mil vagas formais, melhor resultado em nove anos. A queda do desemprego foi comemorada pelo governador Carlos Moisés. Segundo o chefe do Executivo estadual, o atual desempenho da economia catarinense é bastante satisfatório, muito acima da média brasileira.

“Nossa taxa de desemprego é menos da metade da brasileira, que fechou o quarto trimestre em 11%. Conseguimos reduzir a desocupação em Santa Catarina em quase dois pontos percentuais ao longo de 2019, o que foi um resultado e tanto. Temos o desafio de continuar com esse ritmo forte de geração de empregos em 2020. Nosso Estado possui um ambiente econômico diferenciado e isso se reflete nos nossos resultados”, apontou Carlos Moisés.

Outro dado positivo para Santa Catarina foi a taxa de informalidade na economia, que também é a menor do Brasil, com 27,3%. No Pará, por exemplo, esse número ficou em 62,4%, enquanto a média nacional foi de 41,3%.

 

Para o secretário de Estado do Desenvolvimento Econômico, Lucas Esmeraldino, o trabalho realizado para a atração de empresas e ampliação de negócios tem se mostrado efetivo.

“Temos um povo empreendedor, que cria oportunidades e faz acontecer. Além, disso, todas as nossas regiões têm atrativos para os mais distintos ramos de negócios. Esse resultado mostra que estamos no caminho certo. Somos um estado seguro, com índices de criminalidade em queda. Quem quiser investir aqui é sempre bem-vindo. Confiamos também numa retomada mais firme da economia nacional em 2020, o que trará um efeito positivo em cascata para Santa Catarina. O momento é de otimismo”, destacou Esmeraldino.

Informações adicionais para imprensa:
Leonardo Gorges
Assessoria de Imprensa
Secretaria Executiva de Comunicação - SECom
E-mail: leonardogorges@secom.sc.gov.br 
Fone: (48) 3665-3045
Site: www.sc.gov.br 


Foto: Julio Cavalheiro / Secom

Depois de um ano para arrumar a casa, 2020 será para avançar ainda mais em ações do Governo de Santa Catarina por todas as regiões, consolidar políticas bem-sucedidas e concretizar parcerias público-privadas. Essa foi a mensagem transmitida pelo governador Carlos Moisés na manhã desta sexta-feira, 14, a aproximadamente 60 empresários catarinenses presentes à reunião da diretoria da Federação das Associações Empresariais de Santa Catarina (Facisc). O encontro ocorreu na sede da entidade, em Florianópolis.

"Pela primeira vez o Governo do Estado conta com um secretariado técnico, sem indicações políticas. Todos são cobrados por resultados. Também estamos trabalhando com indicadores de desempenho, que até podem ser comuns na iniciativa privada, mas no governo nunca tinham sido aplicados. Estamos inovando para poder medir e fazer mais", pontuou o governador.

>> Mais fotos na galeria

Carlos Moisés destacou como projeções para 2020 o fortalecimento do Programa de Desenvolvimento da Empresa Catarinense (Prodec), o uso de inteligência preditiva para a segurança pública e o avanço nas desestatizações e investimento privado. "Estamos criando um complexo cultural e turístico no entorno da Ponte Hercílio Luz para que a manutenção seja feita com recursos privados. Estamos trabalhando para reduzir o tamanho do Estado em várias frentes", afirmou.

As reformas essenciais para Santa Catarina e o Brasil também foram destacadas pelo governador. Já tramita na Assembleia Legislativa (Alesc) a Reforma da Previdência, que tem por objetivo reduzir o deficit que passa de R$ 4 bilhões por ano, diminuindo investimentos em áreas essenciais. Para o país, Carlos Moisés destacou a importância da reforma tributária. "O Brasil tem muitos tributos e isso precisa ser simplificado, de modo que uma empresa não precise gastar tanto e perder tanto tempo para calcular. A reforma tributária precisa avançar no Congresso", frisou.

Outra pauta nacional apontada por Carlos Moisés é o pacto federativo. Ele lembrou que Santa Catarina é o sétimo estado com a maior arrecadação de impostos para a União, mas apenas o 24º em retorno. "Precisamos cumprir a promessa de mais Brasil e menos Brasília. Hoje Santa Catarina arrecada R$ 44 bilhões em tributos federais e só recebe R$ 1,56 bilhão de volta, algo em torno de 2%. Alguns estados chegam a receber 200% do que arrecadam. Se para nós retornasse 10%, já poderíamos investir em tudo o que é preciso para a nossa população", expôs.

Proximidade com o setor produtivo

O presidente da Facisc, Jonny Zulauf, destacou a proximidade do Governo do Estado com a entidade e enalteceu a facilidade de acesso que a Federação encontrou com a administração estadual. "O posicionamento da nossa diretoria sempre foi o de apoiar os bons posicionamentos do governo, sem esquecer da nossa independência. É muito importante que colaboremos ativamente, até com críticas, mas pensando no que é melhor para Santa Catarina. O espírito é colaborativo e construtivo", afirmou.

A Facisc reúne mais de 34 mil empresas filiadas a 148 associações empresariais catarinenses.

Informações adicionais para a imprensa
Renan Medeiros
Assessoria de Imprensa
Secretaria Executiva de Comunicação - SECom
E-mail: renan@secom.sc.gov.br
Fone: (48) 3665-3058 / (48) 99605-9196
Site: www.sc.gov.br
www.facebook.com/governosc e @GovSC


Foto: Mauricio Vieira  / Secom

Ações, políticas públicas e parcerias que beneficiem as cidades catarinenses estiveram na pauta de uma audiência realizada na tarde desta quinta-feira, 13, entre o governador Carlos Moisés, representantes da Federação Catarinense dos Municípios (Fecam) e de consórcios municipais.

O governador reiterou a disposição do Governo de Santa Catarina em fortalecer as parcerias com os municípios para garantir obras e serviços de qualidade aos cidadãos. "Temos várias ações nesse sentido. São exemplos a nova política hospitalar e o Projeto Recuperar, que destina dinheiro público estadual para que os consórcios façam a intervenção nas rodovias. Há muitas ações na educação e segurança pública que também podem ser potencializadas", projetou. "Quem ganha com essa aproximação é o cidadão, porque ele vive no município. Todo o esforço é para ter municípios fortes. A Fecam e os consórcios são fundamentais", afirmou Carlos Moisés.

>>> Mais fotos na galeria

Os gestores discutiram formas de aprimorar as parcerias já existentes e pautas comuns. Na avaliação do presidente da Fecam e prefeito de Caçador, Saulo Sperotto, a integração entre os entes é importante para fazer frente às demandas da sociedade. "Queremos que o estado seja cada vez melhor, produtivo e eficiente, e não pode ser diferente nos municípios. Temos diversos assuntos integrados e que precisam de um trabalho em conjunto para defender os interesses do cidadão. O Governo do Estado está fazendo uma interlocução muito importante para nós. Tenho certeza de que isso é uma construção, respeitando sempre as responsabilidades de cada um", observou.

Além da Fecam, a reunião teve a participação do chefe da Casa Civil, Douglas Borba, o coordenador da Central de Atendimento aos Municípios (CAM), Gabriel Loeff, a presidente do Consórcio Interfederativo Santa Catarina (CinCatarina) e prefeita de Vargem, Milena Becher, entre outros representantes municipais.

Informações adicionais para a imprensa
Renan Medeiros
Assessoria de Imprensa
Secretaria Executiva de Comunicação - SECom
E-mail: renan@secom.sc.gov.br
Fone: (48) 3665-3058 / (48) 99605-9196
Site: www.sc.gov.br
www.facebook.com/governosc e @GovSC


Foto: Jefferson Baldo / Arquivo / Secom

O Governo do Estado e a iniciativa privada se unem para estimular a produção de trigo, triticale e cevada em Santa Catarina. A intenção é ampliar em 220 mil hectares a área plantada com grãos de inverno, além do desenvolvimento de novas cultivares para o uso na ração animal. O novo programa da Secretaria da Agricultura, da Pesca e do Desenvolvimento Rural foi lançado nesta quinta-feira, 13, durante o 5º Fórum Mais Milho, em Mafra.

"A produção de proteína animal tem papel fundamental no agronegócio catarinense e a oferta de grãos é peça-chave para mantermos a competitividade desse setor. O Programa de Incentivo ao Plantio de Grãos de Inverno surge com a reunião de diversas entidades, produtores e Governo do Estado para garantir o futuro do agronegócio catarinense", afirma o secretário de Estado da Agricultura, da Pesca e do Desenvolvimento Rural, Ricardo de Gouvêa.

Grande produtor de carnes e leite, Santa Catarina é hoje o maior importador de milho do Brasil. Todos os anos cerca de quatro milhões de toneladas do grão são importados de outros estados e países para abastecer a cadeia produtiva catarinense. Com o Programa de Incentivo ao Plantio de Grãos de Inverno, a Secretaria da Agricultura e a iniciativa privada querem estimular os agricultores a plantarem trigo, triticale e cevada, que podem complementar a ração animal e trazer mais renda para os produtores rurais, sem interferir na safra de verão.

O Programa pretende estimular a implantação de 100 mil hectares de trigo, 10 mil hectares de triticale e 10 mil hectares de cevada no estado. Santa Catarina possui hoje 660,8 mil hectares com potencial para exploração de grãos de inverno. Segundo o pesquisador da Embrapa Trigo, Eduardo Caierao, apenas 20% das lavouras catarinenses são utilizadas no inverno, o que traz uma grande possibilidade de ampliação de área plantada.

O Programa pretende ainda, a longo prazo, apoiar a criação de cultivares específicos para o uso em ração, com maior produtividade e que não disputem área com o trigo utilizado para panificação.


Foto: Paulo Santhias/ SAR

Garantia de compra

O grande diferencial do Programa é a participação das agroindústrias, que se comprometem em adquirir os grãos produzidos, desde que atendam as condições do mercado e a qualidade nutricional desejada.

"Conseguimos colocar em prática um projeto que atende a uma demanda antiga do setor privado e também do Governo do Estado, que é ampliar a oferta de grãos em Santa Catarina e proporcionar mais renda para os agricultores", destaca o secretário adjunto da Agricultura Ricardo Miotto.

Apoio para aumentar a oferta de grãos

O incentivo para produção de cereais de inverno vem complementar outras ações desenvolvidas pelo Governo do Estado para aumentar o fornecimento de insumos. Santa Catarina trabalha para viabilizar a Rota do Milho, trazendo o grão do Paraguai diretamente para o Oeste, além de executar o Programa Terra-Boa, que apoia a produção de milho de alta qualidade.

Produção de trigo em Santa Catarina

Nos últimos 29 anos, a produção de trigo aumentou 61% em Santa Catarina, com um rendimento 214% maior. Em compensação, a área plantada reduziu em 48,6%. Segundo o Centro de Socioeconomia e Planejamento Agrícola (Epagri/Cepa), nesta safra o estado deve colher 156 mil toneladas de trigo, em 53.920 hectares.

Parceria com a iniciativa privada

O Programa de Incentivo ao Plantio de Grãos de Inverno é uma parceria entre Secretaria de Estado da Agricultura, da Pesca e do Desenvolvimento Rural, Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), Federação das Cooperativas Agropecuárias do Estado de Santa Catarina (Fecoagro), Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Santa Catarina (Faesc), Federação dos Trabalhadores Rurais Agricultores e Agricultoras Familiares do Estado de Santa Catarina (Fetaesc), Sindicato e Organização das Cooperativas do Estado de Santa Catarina (Ocesc), Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), Sindicato Indústria Carnes Derivados de Santa Catarina (Sindicarne) e Associação Catarinense de Avicultura (Acav).

Informações adicionais para imprensa:
Ana Ceron
Assessoria de Imprensa 
Secretaria de Estado da Agricultura, da Pesca e do Desenvolvimento Rural
E-mail: imprensa@agricultura.sc.gov.br
Fone: (48) 3664-4417/ 98843-4996
Site: www.agricultura.sc.gov.br


Fotos: Ricardo Wolffenbüttel / Secom

O novo procurador-geral do Estado, Alisson de Bom de Souza, e os procuradores do Estado Sérgio Laguna Pereira e Rodrigo Roth Castellano, que assumiram, respectivamente, os cargos de procurador-geral adjunto para Assuntos Jurídicos e procurador-geral adjunto para Assuntos Administrativos, tomaram posse em ato realizado nesta quinta-feira, 13, na sede da Procuradoria-Geral do Estado (PGE). Após a posse, no gabinete, ocorreu a primeira reunião do ano do Conselho Superior que definiu movimentações em consultorias jurídicas.

>>> Mais fotos aqui

O procurador-geral do Estado, Alisson de Bom de Souza, disse que a nova gestão estará de portas abertas. “É uma missão importante liderar a PGE, que é o escritório de advocacia mais importante do Estado de Santa Catarina. Queremos pactuar um compromisso de diálogo com o Governo, procuradores do Estado, servidores e colaboradores. Estaremos de portas abertas em um diálogo constante para a valorização e aproximação institucional, trabalhando em sintonia com o Governo e sendo protagonista de políticas públicas”, destacou.

No ato, a ex-procuradora-geral do Estado, Célia Iraci da Cunha, relembrou o trabalho realizado durante o tempo em que permaneceu no cargo e agradeceu o apoio da equipe. “Entre as realizações da nossa gestão no ano passado, nós criamos uma alternativa ao sistema de gerenciamento de processos, que deverá ser implementada esse ano, e trará ganhos a todos na PGE. Também mantivemos relações importantes de cooperação com a Advocacia-Geral da União, Ministério Público de Santa Catarina e Tribunal de Justiça de Santa Catarina”, lembrou.    

O chefe da Casa Civil, Douglas Borba, agradeceu os trabalhos exercidos pela gestão anterior e saudou a nova equipe evidenciando a importância de um profissional de carreira assumir o cargo. “O Governo decidiu continuar a valorizar a carreira de procurador do Estado na figura de Alisson de Bom de Souza. Também desejo uma ótima gestão à nova equipe para que a PGE seja cada vez mais protagonista dentro das ações de Governo”, salientou.

O presidente da Associação dos Procuradores do Estado de Santa Catarina (Aproesc), Juliano Dossena, destacou o papel fundamental do procurador como advogado público. “O nosso trabalho é apoiar as políticas públicas do Governo. Então, em nome da Aproesc, oferecemos o apoio à nova gestão para alcançarmos as políticas públicas que resultem benefícios à sociedade catarinense”, enfatizou.

Estiveram presentes no ato de transmissão de cargo, o secretário de Estado da Fazenda, Paulo Eli, e o secretário de Estado da Administração, Jorge Eduardo Tasca.  Ex-procuradores-gerais, procuradores do Estado, membros da direção, servidores e colaboradores da PGE também participaram.

Movimentação em consultorias jurídicas

Logo após a transmissão de cargo, foi realizada a primeira reunião do ano do Conselho Superior da Procuradoria-Geral do Estado, sob o comando do novo procurador-geral. Os membros do Conselho aprovaram movimentações nas consultorias jurídicas das secretarias da Administração e da Saúde, que estão sob responsabilidade de procuradores do Estado.

O procurador Ederson Pires assume a Consultoria Jurídica da Administração no lugar do procurador Daniel Cardoso, que agora é diretor de Assuntos Legislativos da Casa Civil, cargo até então ocupado por Alisson de Bom de Souza.

O procurador do Estado Gustavo Schmitz Canto, que atualmente ocupa o cargo de procurador-chefe da Regional da PGE em Rio do Sul, será o novo consultor jurídico da Secretaria da Saúde no lugar do procurador Felipe Barreto, que passará atuar na Regional da PGE em São Miguel do Oeste.

Informações adicionais:
Maiara Gonçalves
Assessoria de Comunicação
Procuradoria Geral do Estado - PGE
comunicacao@pge.sc.gov.br 
(48) 3664-7650 / 99131-5941 / 98843-2430
Site: www.pge.sc.gov.br 


Fotos: Divulgação / SDS

O Governo de Santa Catarina, por meio da Secretaria de Estado do Desenvolvimento Social, entregou na manhã desta quinta-feira,13, o Centro de Referência de Assistência Social (Cras) para a população de Morro Grande, no Extremo Sul catarinense.

O investimento total foi de R$ 350.298,76 em estrutura e mobília. A capacidade de atendimento é, em média, de 500 famílias por ano.  

“Os investimentos em infraestrutura e equipamentos se justificam no objetivo de criar um ambiente de trabalho adequado e digno aos trabalhadores do SUAS e, por consequência, melhorar o atendimento ao usuário”, ressalta a secretária de Estado do Desenvolvimento Social, Maria Elisa De Caro.  

O novo Cras funcionará em parceria com a Prefeitura de Morro Grande e conta com 171 metros quadrados. O espaço dispõe de sala de atendimento familiar, administração, recepção, cozinha, banheiro, área de serviço, sala multiuso, área externa coberta e mobília.

Cada Centro trabalha com uma equipe mínima de psicólogo, assistente social e mais dois profissionais para funções administrativas. Os Cras atendem pessoas em situação de vulnerabilidade e as encaminham para serviços, programas e projetos socioassistenciais. A equipe técnica oferece atendimento psicossocial preventivo para indivíduos e famílias, o que evita o agravamento das dificuldades.

Mais informações para imprensa:
Marta Scherer
Assessoria de Comunicação 
Secretaria de Desenvolvimento Social - SDS
Fone: (48) 3664-0916
E-mail: ascom@sst.sc.gov.br


Foto: Clovis Perozin/ SDE

Santa Catarina inova e sai mais uma vez na frente com o lançamento de uma instrução normativa do Projeto Orla pela Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico Sustentável. A medida auxilia, simplifica e desburocratiza a elaboração do Plano de Gestão Integrada da Orla Marítima dos municípios costeiros, previsto nos Manuais de Gestão do Ministério do Meio Ambiente e da Secretaria do Patrimônio da União. A ação fomenta a adesão das cidades ao projeto e pode trazer mais benefícios à população e turistas.

Para o secretário da Secretaria Executiva do Meio Ambiente (SEMA), professor Celso Albuquerque, esta iniciativa tem a responsabilidade de contribuir para traçar diretrizes e políticas públicas para o desenvolvimento da orla. “O Projeto Orla vem igualmente ao encontro dos objetivos do Programa Estadual de Gerenciamento Costeiro (GERCO). Foi criado como forma de responder as demandas de ordenamento do uso e ocupação das bordas litorâneas”, explica.

“Em parceria com os municípios e as famílias catarinenses, queremos disciplinar, de maneira integrada e participativa, o uso e ocupação do território na tentativa de melhorar a qualidade de vida das famílias, de preservar e conservar os ecossistemas costeiros”, pontua o secretário da SDE, Lucas Esmeraldino, enfatizando que esta ação também colabora com a arrecadação dos municípios.

A proposta é consolidar, juntamente com os governos municipais e sociedade civil, a gestão integrada, compartilhada e sustentável da orla catarinense. “De 30 municípios, 10 já aderiram ao projeto Orla. Acreditamos que essa instrução será um grande avanço para a preservação dos recursos naturais das regiões e estamos empenhados para auxiliar as cidades no que estiver ao alcance da SDE”, finaliza a coordenadora de Integração e Planejamento Ambiental, Thays Saretta.

A instrução normativa do Projeto Orla segue a metodologia do Manual de Gestão do Projeto Orla. Uma ação conjunta desenvolvida pelo Governo Federal, coordenado pelo Ministério do Meio Ambiente (MMA) e a Secretaria do Patrimônio da União (SPU), em parceria com estados e municípios.

Mais informações para a imprensa:
Mônica Foltran
Assessoria de Comunicação
Secretaria do Desenvolvimento Econômico Sustentável - SDE
Fone: (48) 3665-2261 / 99696-1366
E-mail: jornalistamonicafoltran@gmail.com
Site: www.sds.sc.gov.br


Fotos: Mauricio Vieira / Secom

O atendimento hospitalar foi ampliado em Santa Catarina. O Governo do Estado, por meio da Secretaria da Saúde, abriu 13 novos leitos em Unidades de Terapia Intensiva (UTIs) em janeiro. A expansão foi possível após a contratação de servidores pelos processos seletivos realizados durante o segundo semestre de 2019.

No total, foram abertos seis leitos em UTI pediátrica no Hospital Infantil Joana de Gusmão, em Florianópolis; quatro leitos adultos no Hospital Dr. Waldomiro Colautti, em Ibirama, e três leitos adultos no Hospital Regional Dr Homero Miranda Gomes, em São José. De acordo com a Superintendência de Hospitais Públicos, as unidades da Secretaria de Estado da Saúde (SES) passam a contar com 167 leitos de UTI, sendo 94 adultos, 53 neonatais e 20 pediátricos.

>> Mais fotos na galeria

O secretário da Saúde, Helton de Souza Zeferino, destaca que a abertura desses leitos impacta diretamente na melhoria e ampliação do atendimento na rede estadual. “Com essa ampliação, tanto o Hospital Infantil Joana de Gusmão quanto o Dr Waldomiro Colautti trabalharão com as suas UTIs em capacidade plena. Os leitos de UTI fechados por falta de servidores no Regional foram reabertos. Isso reflete na maior capacidade de resposta cirúrgica e de internação em nossas unidades, além da redução de necessidade de transferência de pacientes pelo estado”, ressalta.

A Secretaria de Estado da Saúde ainda conta com processos seletivos com inscrições abertas para diversas regiões. O objetivo é dar continuidade à diretriz traçada pela atual gestão de ampliação e melhoria do atendimento na rede SUS.

Vagas abertas em vários municípios de SC

A SES também está com inscrições abertas em processos seletivos para profissionais de saúde em várias regiões de Santa Catarina. Os editais 06, 07 e 08/2020, divulgados em fevereiro, contemplam as regiões de Lages, Mafra, Joinville, São Lourenço do Oeste, Jaraguá do Sul, Rio do Sul, Xanxerê e Itajaí. As vagas são para farmacêutico, biólogo, agente de saúde pública e médico.

O edital de processo seletivo 06/20 estão com inscrições abertas até 17 de fevereiro e os salários variam entre R$ 3,6 e R$ 7 mil.

Em Lages (07/20), com atuação do Hospital Geral e Maternidade Tereza Ramos, estão abertas vagas para médicos nas especialidades de ginecologia, pediatria, radiologia, anestesiologia e urologia. Para o município de Mafra (08/20), as oportunidades oferecidas são para três médicos ginecologistas e um pediatra. As inscrições encerram-se no dia 19 de fevereiro e o salário é em torno de R$ 7,8 mil.

Entre as organizações sociais que atendem a SES, existem vagas abertas para telefonista e oficial de manutenção no Centro de Pesquisas Oncológicas (Cepon). Já o Instituto Maria Schmitt conta com um processo para preenchimento de vagas de auxiliar de faturamento e auxiliar de almoxarifado no Hospital Florianópolis. Para ambos, o prazo de inscrição termina no dia 17 de fevereiro. Informações neste link

Mais informações para a imprensa:
Fabrício Escandiuzzi
Assessoria de Comunicação
Secretaria de Estado da Saúde - SES
Fone: (48) 3664-8820 / 99913-0316
E-mail: imprensa@saude.sc.gov.br
Site: portalses.saude.sc.gov.br


Foto: Peterson Paul

Pela primeira vez, a Celesc é a distribuidora mais bem avaliada do país pelos consumidores residenciais. A companhia venceu o Prêmio Aneel de Qualidade 2019, na categoria Nacional, entre as empresas que atendem mais de 400 mil unidades consumidoras. O troféu foi entregue nesta quarta-feira, 12, ao governador Carlos Moisés e ao o presidente da empresa, Cleicio Poleto Martins, durante cerimônia em Brasília.

A companhia também foi a mais bem avaliada pelos consumidores residenciais na região Sul. O levantamento foi feito pela Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL), no ano passado. “É a primeira vez que a Celesc recebe esse prêmio com destaque nacional. Isso demonstra que estamos no caminho certo, entregando um serviço eficiente e de qualidade aos catarinenses”, reforçou Carlos Moisés.

Na área de concessão da Celesc, os clientes deram índice 77,10 ao grau de satisfação pelos serviços prestados, bem acima da média nacional para a categoria, que foi de 67,38. "O trabalho de todos levou a esse resultado tão importante, de sermos a melhor concessionária de energia elétrica do país. Agora é seguir adiante, oferecendo um serviço de qualidade aos consumidores", destacou o presidente da Celesc, Cleicio Poleto Martins.

Como é feita a pesquisa

O índice foi aferido por meio de pesquisa de opinião realizada em todo o Brasil, de forma presencial domiciliar pela empresa Qualitest – Inteligência em Pesquisa, no período de 22 de julho a 13 de novembro de 2019. O questionário avaliou a percepção do consumidor a respeito da qualidade e do valor percebido, da sua confiança no fornecedor, da fidelidade e da sua satisfação integral. Foram entrevistados 27.308 consumidores residenciais, de 596 municípios atendidos pelas 91 distribuidoras de energia elétrica.

A premiação retrata o grau de contentamento do consumidor e é divulgada anualmente pela agência, desde 2000. A ANEEL premia as distribuidoras mais bem avaliadas, desde que atingida a pontuação mínima de 60 pontos. Neste ano, as distribuidoras com melhor avaliação receberam troféu, certificado e o selo Iasc.

Informações adicionais para imprensa:
Heda Wenzel
Assessoria de Comunicação
Centrais Elétricas de Santa Catarina S.A. - Celesc
E-mail: hedasw@celesc.com.br
(48) 3231-6226
Site: www.celesc.com.br